RSS

Waffle Belga

Melhor que Waffle, só Waffle Belga. A principal diferença para o Waffle Americano é que o Belga é doce, com um toque de baunilha que deixa um cheirinho fantástico pela casa.

Enquanto o Waffle Americano tem sabor neutro, fazendo que o acompanhamento roube a cena, o Waffle Belga tem sua identidade própria sendo uma delicia puro ou com uma calda, acompanhado de um cafezinho.

Vamos aos ingredientes:

  • 2 xícaras de trigo;
  • 2 xícaras de leite;
  • 2 colheres de chá de fermento químico;
  • 1 colher de chá de sal;
  • 4 colheres de sopa de manteiga sem sal;
  • 2 colheres de sopa de açúcar;
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha;
  • 4 ovos.

Primeiro misture bem os ingredientes secos. Reserve e vamos preparar os líquidos.

Separe a gema da clara e coloque em outro recipiente. A clara iremos bater em neve. Para facilitar, eu uso o mini processador pra isso. Coloque as claras no mini processador e a lâmina pra bolo (de plástico). Bata até que a lâmina comece a girar em falso, não tendo mais resistência. É bem rápido.

No recipiente que você colocou as gemas, adicione o leite e misture bem. A gema deve incorporar completamente no leite. Adicione a manteiga levemente derretida no micro ondas. A manteiga não pode estar quente para não começar a cozinhar as gemas. A manteiga também ajuda para que o Waffle não grude na hora de assar. Adicione o extrato de baunilha e misture bem. Não use essência, e sim extrato ou se preferir, em fava.

Adicione os ingredientes secos que você já havia deixado separados anteriormente e misture bem. Lembre-se, todos os ingredientes devem estar em temperatura ambiente.

Adicione as claras em neve e com um garfo vá devagar incorporando as claras na massa. Não deve bater ou misturar bem, é apenas para incorporar pra massa ganhar cremosidade. O ponto da massa não deve estar liquida demais que você não consiga pegar com a colher, e nem tão dura que fique pesada pra mexer.

Unte a sua máquina de waffle com azeite (só na primeira vez), deixe esquentar bem e adicione aproximadamente 2 colheres de sopa da massa bem cheias por quadradinho.

Estará pronto quando não estiver mais quase saindo vapor pelas laterais da máquina e a cor estiver semelhante da foto. Se achar necessário, deixe mais alguns instantes. Deixe pelo menos uns 3 minutos antes de abrir para ver como está ficando.

Retire com cuidado com o auxilio de uma espátula para não arranhar o antiaderente da máquina.

Você pode servir com geleias ou caldas, ou simplesmente com açúcar de confeiteiro.

Para acompanhar, uma cafezinho expresso.

Bom apetite!

Veja também:
Waflle Americano
Hamburger Caseiro
Pipoca com Calda de Chocolate

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Outubro 13, 2013 em Acompanhamentos, Aperitivos, Massas

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Pancho Uruguayo

Essa semana a Dona Maria comentou sobre um tal de Pancho, que parecia ser muito gostoso. Pesquisando um pouco mais descobri que Pancho é o nome que se da no Uruguai e Argentina para o bom e velho cachorro quente.

Assim como o cachorro quente, o Pancho tem muitas variações, pois em cada esquina tem uma barraquinha que da o seu toque especial ao prato.

Em resumo, a versão Uruguaia tradicional seria apenas o pão com salsicha, salsicha bem maior que o pão, para ser um lanche de rua barato.

Segue ingredientes:

  • pão de cachorro quente tamanho médio;
  • salsicha extra G.

Umas das dificuldades de cozinhar no interior é a dificuldade de achar ingredientes. Como não achei salsicha tradicional maior, usei a linguiça Guanabara da Sadia.

Asse a linguiça de acordo com as instruções da embalagem. Se usar salsicha tradicional, cozinhe na água apenas, sem molho.

Coloque no pão e estará pronto. Na montagem é só assim mesmo e na hora de comer, pode usar mostarda, maionese e ketchup ou adicionar o que você quiser.

Quando estiver comendo, a carne solta aquele suquinho que molha o pão, fica uma delícia. Não acreditava que algo tão simples poderia ser tão gostoso, mas acredite, fica muito bom. É o melhor “cachorro quente” que já comi até hoje.

Bom apetite!

Veja também:
Hamburger Caseiro

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Outubro 6, 2013 em Sanduíches

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Enrolado de Salsicha com Massa de Pastel

Estamos aqui hoje para mais uma receita “final de mês”. Isso mesmo, uma receita para aqueles dias que o vale alimentação da firma já acabou e precisamos nos virar com o que tem na geladeira.

Vamos aos ingredientes:

  • massa de pastel em rolo;
  • salsicha;
  • catupiry.

Abra a massa de pastel em rolo, corte no ponto que seja suficiente para enrolar 2 vezes e coloque uma salsicha em uma das extremidades, não precisa cozinhar previamente.

Coloque um pouco de catupiry sobre a salsicha. Antes de enrolar passe um pouco de água nas bordas da massa e enrole 2 vezes. A água irá ajudar que a massa fique bem fechada.

Aperte as laterais para ficar bem fechado. Unte uma assadeira e coloque os enrolados. Leve a assadeira ao forno pré-aquecido em 200 graus.

Se quiser, pode pincelar uma gema por cima para dar uma cor mais atraente.

Assim que começar a corar estará pronto. Fica uma delícia.

Sirva quente. Se deixar esfriar, pode esquentar no micro-ondas.

Para acompanhar, um suquinho Tang vai bem.

Bom apetite!

Veja também:
Pipoca com Calda de Chocolate
Batida de Coco com Cachaça
Banana à Milanesa

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Setembro 29, 2013 em Massas, Outros

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Banana à Milanesa

A banana é a fruta mais consumida no mundo. As estatísticas de 2008 mostram que no mundo eram consumidos mais de 11 quilos por pessoa por ano, superando a laranja. Isso que não contaram as plantações domésticas, porque aqui no Brasil bananeira é pior que capim, tem em tudo que é canto. [risos]. Não é pra menos, pois existem uma quantidade absurda de receitas que levam essa fruta como ingrediente.

Hoje irei fazer uma receita de banana à milanesa, muito comum em restaurantes de buffet à quilo, que eu particularmente adoro, principalmente quando é bem feita.

Vamos aos ingredientes:

  • bananas pequenas;
  • água;
  • trigo;
  • farinha de rosca ou preparo para empanar;
  • açúcar;
  • canela em pó;
  • óleo.

Não citei as quantidades porque isso depende da quantidade que você irá fazer. O objetivo será a técnica.

O passo mais importante é a escolha da banana. Deve ser pequena para que cozinhe bem por dentro, e que seja o mais doce possível.

Como estamos fora da época da colheita, só achei banana branca. A banana nanica seria a mais indicada.

Descasque as bananas e corte ao meio. Em uma tigela com trigo, passe as bananas cobrindo-as bem.

Passe as bananas já com o trigo em outra tigela com água. Apenas molhe, deixe escolher o excesso de água e passe em outra tigela com a farinha de rosca ou preparo pronto para empanar, cobrindo-as bem. Eu usei preparo para empanar porque não achei farinha de rosca no mercado.

Em uma frigideira ou panela, adicione o óleo de forma que possa cobrir totalmente as bananas, aqueça bem em fogo alto e adicione as bananas já empanadas. Umas 3 ou 4 por vez.

Vire-as para que fique com cor uniforme. Assim que passar um pouco do dourado, retire e coloque em uma tigela com papel toalha para absorver o excesso de óleo.

Em outra tigela, coloque o açúcar misturado com canela a gosto e passe as bananinhas fritas, cobrindo-as bem. Eu usei açúcar mascavo orgânico, mas pode usar açúcar refinado normal.

Retire e está pronto para servir.

Bom apetite!

Veja também:
Waffle Americano
Hamburger Caseiro
Pipoca com Calda de Chocolate

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Setembro 22, 2013 em Acompanhamentos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Spaghetti ao Molho de Tomate Seco

Durante a nossa estadia na serra gaúcha fomos massacrados por incontáveis rodízios de massas. Apesar de já estarmos acostumados com esses rodízios, um tipo de molho que ainda não conhecíamos nos chamou muito a atenção, Molho de Tomate Seco. Pelo o que li, é uma tradição da região.

Retornamos para casa obstinados a reproduzir o tal molho. É fácil, rápido, barato, delicioso, e muito calórico. [risos]

Segue ingredientes:

  • 300 gramas de macarrão tipo espaguete;
  • 300 gramas de creme de leite fresco (nata);
  • 50 gramas de tomate seco em conserva;
  • 1 colher de chá de salsinha fresca;
  • 1 colher de sopa de manteiga;
  • queijo parmesão ralado a gosto;
  • 1 cebola média;
  • 1 dente de alho;
  • pimenta do reino;
  • sal a gosto.

Em uma panela grande, de preferencia uma espagueteira, coloque água na proporção de 1 litro de água para casa 100 gramas de massa. Tampe e leve ao fogo alto.

Enquanto a água esquenta, vamos preparando o molho. Coloque a manteiga em uma panela e leve ao fogo médio. Adicione a cebola picada e mexa até dourar.

Adicione o alho picado e logo em seguida o tomate seco. Pode ser inteiro mesmo, inclusive com parte do óleo da conserva. Deixe fritar de 1 a 2 minutos e então adicione a nata, a salsinha fresca picada, o sal a gosto e a pimenta do reino. Costumo fazer o molho um pouco mais salgado e não por muito sal depois no macarrão.

Abaixe o fogo, tampe e deixe o molho esquentar lentamente.

Enquanto isso, verifique a panela de água, se já estiver começando a fazer bolhas, faça um maço com o espaguete, coloque no meio da panela e solte. Irá ficar circular nas bordas da panela. Conforme o macarrão que estiver mergulhado for amolecendo, o demais irá descendo. Eu costumo ajudar com o garfo para que não fique muito tempo fora d’agua, cozinhando de forma uniforme. Jamais quebre o espaguete, por favor. [risos]

Assim que todo o espaguete estiver mergulhado, com o garfo de uma mexida na base do espaguete que ficou primeiro mergulhado na água para soltar bem. Apesar de uma dica simples, isso irá evitar que fique aquele macarrão unidos venceremos que é horrível. Isso também serve para qualquer tipo de massa cozida. Também não fique mexendo demais, só o necessário.

Adicione o sal a gosto. Você deve lembrar que você está salgando não só o macarrão, mas também a água que será jogada fora depois. Então deve caprichar no sal. Recomendo com uma colher provar um pouquinho da água para saber se está no ponto certo. Tampe novamente e deixe ferver.

Voltando ao molho, assim que ferver, deixe ainda em fogo baixo por mais 2 ou 3 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar até o macarrão estiver pronto.

Para saber o ponto do macarrão, pegue alguns com o garfo e retire da panela. Deve estar com aparência uniforme, que você consiga enrolar no garfo, mas não pode sujar. Se quiser pode provar para sentir como está a textura. Eu recomendo desligar o fogo antes que estiver no ponto ideal e terminar o cozimento na água quente apenas. É mais fácil para evitar que passe do ponto.

Assim que o espaguete estiver pronto, escorra e reserve por alguns instantes.

Com o molho já amornado, passe o mixer (varinha mágica) no molho para desmanchar o tomate seco. Se ficar alguns pedacinhos pequenos não tem problema. Despeje o molho na panela do espaguete, misture bem e leve ao fogo baixo sempre mexendo. Assim que começar a borbulhar está pronto para servir com um queijinho parmesão ralado por cima.

Para acompanhar, um vinho tinto Cabernet Sauvignon, de preferencia produzido serra gaúcha pra complementar o tema.

Bom apetite!

Veja também:
Strogonoff de Carne
Strogonoff de Camarão
Carne de Panela à Mexicana

 
1 Comentário

Publicado por em Setembro 15, 2013 em Massas, Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Moscatel com Licor de Laranja

Como já dizia Napoleão Bonaparte, “Merecido nas vitórias e Necessário nas derrotas.” Talvez essa seja uma boa forma de definir o que representa o espumante em nossas vidas. De fato, representa muito mais que uma bebida, sendo um símbolo de conquistas, alegrias e esperanças.

Ele estará junto com você sempre que tiver um excelente ano, quando se formar na faculdade, quando comprar a sua casa própria, ou seu carro dos sonhos, ganhar a promoção no trabalho batalhada por anos, ou simplesmente para lembrar que esta ao lado da pessoa que você ama.

Para quem não conhece, o espumante do tipo Moscatel é feito tendo a fermentação interrompida já no primeiro estágio, fazendo com que se mantenha doce e com um teor alcoólico baixo. Devido a essa característica, ele é muito usado na elaboração de drinks.

Em uma vinícola localizada na serra gaúcha, fomos recepcionados na chegada com um drink de Moscatel com Licor de Laranja. Nunca tinha tomado e nem imaginado essa combinação.

Apesar do choque inicial, adoramos e comumente fazemos em casa.

Para fazer é bem simples, em uma taça, despeje uma dose de Licor de Laranja bem gelado, recomendo (cointreau) e complete com Moscatel, também bem gelado.

Deguste com Moderação! [risos]

Veja também:
Quentão de Vinho
Batida de Coco com Cachaça

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Setembro 8, 2013 em Bebidas

 

Etiquetas: , , , , ,

Carré de Cordeiro

Muitas vezes quando estou com vontade cozinhar mas estou sem grandes ideias, vou ao supermercado e me deixo levar pelas promoções. Comumente me surpreendo com os pratos que essa prática me proporciona.

Eis que a promoção da vez era a famosa carne da alta culinária internacional, o Carré de Cordeiro. Uma carne de sabor peculiar e de fácil preparo.

Veja os ingredientes:

  • 1 peça de carré de cordeiro;
  • sal grosso moído;
  • pimentas moídas.

Para preparar esse prato, optei pela simplicidade. Deixe a peça de carré de cordeiro inteira e passe o sal grosso moído por toda ela. Não precisa economizar no sal por ser uma peça grande.

Faça o mesmo com as pimentas. Eu usei um mix de pimentas, que tem pimenta do reino preta, pimenta do reino branca, pimenta rosa, pimenta calabresa e pimenta da Jamaica.

Leve à grelha bem aquecida. Deixe alguns minutos de cada lado até que fique com aparência de bem assada. Não se preocupe com a carne ficar dura ou seca, pois o carré de cordeiro de um lado é osso e do outro é uma generosa capa de gordura.

Quando estiver assada, retire da churrasqueira e com uma faca “potente”, separe cada ossinho em um bife individual como na foto de capa. Eu usei um cutelo ao invés de uma faca. Se você achar o ponto de junção do osso, será bem tranquilo de separar.

Está pronto para servir, combina muito bem com um purê de batata. Se preferir, um fio de azeite de oliva por cima da uma graça ao prato.

Para acompanhar, um bom vinho tinto Malbec combina muito bem.

Bom apetite!

Veja também:
Picanha Grelhada
T-Bone no Forno
Costela Assada
Espetinho à Uruguaya

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Setembro 1, 2013 em Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Waffle Americano

Pra mim não existe nada melhor que levantar domingo de manhã e ir pra cozinha preparar um delicioso café da manhã. Este que sempre acaba virando brunch porque nunca acordo tão cedo. [risos]

Desde criança, o Waffle, que devemos pronunciar “uófol” de acordo com os especialistas, sempre esteve presente, mesmo nos momentos mais difíceis. Apesar de não ser tão gostoso e crocante quanto a receita que preparo hoje, teve a sua devida importância.

Existem inúmeras variações e teorias a respeito do Waffle. Daria para passar horas filosofando a respeito. Pra mim o mais importante é que existem 2 tipos base, o Americano que tem sabor neutro e o Belga que é doce. Irei fazer a versão Americana. Em outro momento farei a versão Belga que também é deliciosa.

Deixando a conversa pra lá, vamos aos ingredientes:

  • 2 xícaras de trigo;
  • 2 1/2 xícaras de leite;
  • 3 colheres de chá de fermento químico;
  • 1 colher de chá de sal;
  • 5 colheres de sopa de manteiga sem sal;
  • 2 ovos.

Primeiro misture bem os ingredientes secos. Eu não vejo necessidade de peneirar a farinha, apenas se você achar que está meio empelotada. Reserve e vamos preparar os líquidos.

Separe a gema da clara e coloque em outro recipiente. A clara iremos bater em neve. Para facilitar, eu uso o mini processador pra isso. Coloque as claras no mini processador e a lâmina pra bolo (de plástico). Bata até que a lâmina comece a girar em falso, não tendo mais resistência. É bem rápido.

No recipiente que você colocou as gemas, adicione o leite e misture bem. A gema deve incorporar completamente no leite. Adicione a manteiga levemente derretida no micro ondas. A manteiga não pode estar quente para não começar a cozinhar as gemas. A manteiga também ajuda para que o Waffle não grude na hora de assar.

Eu gosto de deixar uns pedacinhos inteiros de manteiga, não tem problema. Adicione os ingredientes secos que você já havia deixado separados anteriormente e misture bem. Se você achar que a massa está muito dura, adicione um pouquinho de leite a mais. Lembre-se, todos os ingredientes devem estar em temperatura ambiente.

Adicione as claras em neve e com um garfo vá devagar incorporando as claras na massa. Não deve bater ou misturar bem, é apenas para incorporar pra massa ganhar cremosidade. O ponto da massa não deve estar liquida demais que você não consiga pegar com a colher, e nem tão dura que fique pesada pra mexer.

Unte a sua máquina de waffle com azeite (só na primeira vez), deixe esquentar bem e adicione aproximadamente 2 colheres de sopa bem cheias por quadradinho.

Estará pronto quando não estiver mais quase saindo vapor pelas laterais da máquina e a cor estiver semelhante da foto. Se achar necessário, deixe mais alguns instantes. Deixe pelo menos uns 3 minutos antes de abrir para ver como está ficando.

Retire com cuidado com o auxilio de uma espátula para não arranhar o antiaderente da máquina.

Como o Waffle Americano tem o sabor neutro, é a cobertura que irá fazer toda a diferença, e é isso que eu mais gosto. Mude a cobertura e terá um prato totalmente novo.

Costumamos usar geleias, principalmente amora e morango e até geleia de caipirinha, mas fique a vontade e use a sua criatividade para inovar nas coberturas.

Para acompanhar, uma cafezinho moído na hora não é nada mal.

Bom apetite!

Veja também:
Hamburger Caseiro
Pipoca com Calda de Chocolate

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Agosto 25, 2013 em Acompanhamentos, Aperitivos, Massas

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

Pizza de Frango Barbecue

Eu nunca gostei de pizza de frango, mas recentemente fui jantar em uma famosa rede de pizzarias e tinha um novo sabor que me chamou muito a atenção, Frango Barbecue. Apesar de ter gostado muito, fiquei com o pensamento que poderia ser melhorado.

Usei como referência o recheio de uma torta de frango que sempre fazemos, em breve publico a receita, e adaptei para molho barbecue. O resultado superou todas as expectativas e se tornou um dos meus sabores favoritos.

Vamos aos ingredientes para uma pizza de 30 cm:

  • massa de pizza (veja a receita A Melhor Massa de Pizza);
  • 160 gramas de molho de tomate pra pizza (veja a receita Molho pra Pizza);
  • 150 gramas de queijo mussarela ralado;
  • 250 gramas de peito de frango;
  • 1 dente de alho;
  • 1 folha de louro;
  • chilli em pó;
  • 5 colheres de sopa de molho barbecue;
  • sal.

Primeiro vamos preparar o frango. Corte o peito de frango em cubos grandes para facilitar o cozimento e coloque-o em uma panela, juntamente com o alho inteiro, a folha de louro, uma pitada de chilli em pó e sal a gosto. Adicione água suficiente para cobrir o frango e leve ao fogo alto. Deixe ferver até a água evaporar quase por completo.

Adicione uma colher de sopa de molho barbecue, misture bem e deixe amornar.

Para desfiar o frango, utilizei um mini processador, utilizando a lâmina pra bolo (de plástico). Facilita muito o trabalho. Coloque no mini processador alguns pedaços de frango e barbecue à gosto. Como o molho barbecue que usei era forte, um tipo defumado, utilizei uma colher de sopa, mas você pode usar mais se achar necessário.

Ligue o mini processador por alguns instantes e o frango estará desfiado e integrado ao molho barbecue. Repita até que todo o frango esteja desfiado.

Para finalizar, caso tenha sobrado algum pedaço maior de frango depois de passar pelo mini processador, termino de desfiar com a mão.

Agora vamos montar a pizza:

Espalhe bem o molho da pizza de forma regular até as bordas. Espalhe uniformemente o queijo mussarela, o frango desfiado e um pouco de orégano, só o suficiente pra dar um gostinho.

Se quiser deixar mais molhadinha, regue com um pouco de azeite de oliva de qualidade. Eu não o fiz porque o frango já ficou úmido o suficiente com o barbecue.

Leve ao forno e assim que as bordas da massa estiverem corada e o queijo bem derretido, estará pronta.

Retire do forno com cuidado para não se queimar e está pronto para servir.

Veja também:

Pizza Marguerita
Pizza de Parma com Rúcula
Pizza de Abobrinha
Pizza Aperitivo (crostini)

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Agosto 18, 2013 em Pizzas

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Strogonoff de Camarão

Pra mim só existe um prato melhor que strogonoff de carne, o strogonoff de camarão. [risos]. Não fazemos com frequência, mas quando fazemos é um acontecimento.

Segue ingredientes:

  • 300 gramas de camarão branco pré-cozido descascado;
  • 340 gramas de molho de tomate tradicional;
  • 1 dente grande de alho;
  • 1 cebola média;
  • 1 colher de sopa de colorau;
  • 1 pimenta dedo de moça;
  • 200 gramas de creme de leite de caixinha;
  • 50 gramas de champignon fatiado;
  • azeite;
  • sal a gosto.

Em uma panela com fogo médio, coloque um fio de azeite e refogue a cebola picada, após adicione o alho picado,  a pimenta dedo de moça picada sem semente e por último o colorau.

Adicione o camarão, misture e deixe fervendo por 3 minutos. Adicione o molho de tomate, o sal a gosto e reduza o fogo. Tampe e deixe até ferver.

Quando estiver borbulhando adicione o champignon fatiado e o creme de leite. Uso o creme de leite de caixinha porque os demais tipos se ferverem vão talhar e estragar a receita.

Desligue o fogo e está pronto para servir com arroz ou purê de batata e batata palha extra fina.

Para acompanhar, um vinho branco vai bem.

Bom apetite!

Veja também:
Strogonoff de Carne
Carne de Panela à Mexicana
T-Bone no Forno
Picanha Grelhada

 
1 Comentário

Publicado por em Agosto 11, 2013 em Carnes, Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

 
Daniel Dalonso | Fotografia

Paixão pela arte de fotografar!