RSS

Arquivo de etiquetas: sal grosso

Hackepeter

Quando pensamos em comida típica alemã, provavelmente esse é um dos primeiros pratos que vem a cabeça. Apesar de eu não ser fã de comida alemã e você não verá muitas receitas dessa culinária por aqui, esse prato pra mim tem um toque especial, pois quando conheci a dona Maria, saíamos para um barzinho que servia esse aperitivo. Isso me trás boas recordações.

Muita gente confunde o hachepeter com beef tartar ou com carne de onça. Apesar de serem parecidos, não é a mesma coisa. O Beef Tartar é francês e não usa carne moída como no hackepeter, e sim a carne picada na ponta da faca. Mas é bem parecido.

Já a carne de onça o que muda é a forma de servir, ao invés de preparar na mesa em frente aos convidados, é servido no pão preto e com salsinha por cima, como se fosse uma brusqueta.

Vamos ao que interessa, nosso Hackepeter, veja os ingredientes:

  • 500 gramas de coxão mole limpo moído;
  • 1 gema;
  • 1 colher de sopa de salsinha picada;
  • 1 colher de sopa de cebolinha verde picada;
  • 1 colher de sopa de alcaparras picadas;
  • 2 colheres de sopa de cebola picada;
  • 2 colheres de chá de molho inglês;
  • 3 colheres de chá de mostarda;
  • 1/2 xícara de azeite de oliva;
  • páprica picante a gosto;
  • sal grosso moído a gosto;
  • pimenta do reino moída;
  • 50 ml de conhaque.

A parte mais difícil é conseguir achar um açougue e um açougueiro de bom humor para limpar a carne e moer ela pra você. Não pode ter nada de gordura ou nervos e o ideal é passar apenas 2 vezes no moedor. A carne ideal é o coxão mole, mas pode usar alcatra ou mignon se preferir.

Em um prato grande ou uma travessa, coloque a carne limpa moída e molde em um formato circular, deixando o topo levemente afundado para que a gema não caia quando for colocada. Espalhe a páprica picante por cima e nas laterais. Isso irá dar uma cor avermelhada bonita ao prato.

Coloque a gema no topo da carne, e no prato ao redor, coloque a salsinha picada, a cebolinha verde picada, as alcaparras escorridas e picadas e a cebola picada o mais fino que você conseguir. A cebola acho melhor não ralar porque irá soltar muita água. A alcaparras compro em conserva.

Feito isso, pode levar à mesa. O charme do prato é terminar de preparar na mesa, em frente aos convidados. Com o auxílio de 2 garfos, misture brevemente todos os ingredientes que estiverem no prato e deixe a carne bem espalhada, então despeje o conhaque e misture bem. O conhaque irá esterilizar a carne e o ovo.

Adicione o sal grosso moído. Pode caprichar no sal. Adicione também a mostrada, o molho inglês, a pimenta do reino moída e o azeite de oliva de qualidade. Misture novamente.

O hackepeter tem que ficar com a aparência de um patê. Para que isso ocorra, o segredo é a forma com que você mistura os ingredientes. A forma correta é passar o garfo por baixo e virar pro meio e em seguida apertar com o garfo. Semelhante como fazer um purê de batata.

Recomendo você provar um pouquinho e caso ache necessário, faça a correção no sal, mostarda ou molho inglês até ficar do seu agrado.

Quando estiver pronto, molde novamente formando um circulo e estará pronto. Sirva com uma cesta de pães variados. Os pães mais moles são mais recomendados.

Agora é só praticar servir com 2 garfos usando uma mão só. Quem está acostumado com sushi não terá dificuldades. [risos]

Para acompanhar, recomendo uma cerveja Weizen, combina perfeitamente.

É importante lembrar que esse prato, por levar ovo e ser servido cru, deve ser preparado e consumido imediatamente. Se sobrar, descarte.

Bom apetite!

Veja também:
Costelinha com Geleia de Morango com Pimenta
Hamburger Caseiro
Carne de Panela à Mexicana

 
1 Comentário

Publicado por em Agosto 4, 2013 em Aperitivos, Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Molhos para Fondue de Carne

Esse é com certeza um prato que o conceito de “fast food” passou bem longe. Ótimo para ocasiões que há muito assunto pra pôr em dia. [risos]

Para fazer o fondue de carne, você deve usar carnes macias, e sem gordura aparente. Escolhi filé mignon, peito de frango sem pele e linguiça calabresa fininha.

Corte o filé mignon e o peito de frango sem pele em cubinhos médios, para que seja “rápido” de fritar, mas que não fique ressecado facilmente. Tempere com sal grosso moído apenas. A linguiça calabresa fininha, basta cortar em pedaços de 1,5 cm aproximadamente.

Vamos aos molhos:

Molho Base:

Como o nome já diz, esse será a base para os demais molhos. Veja os ingredientes:

  • 1 xícara de azeite;
  • 1/4 xícara de leite gelado.

Aqui em casa evitamos utilizar derivados de soja, por isso usei azeite de girassol ao invés de soja. Com azeite de oliva a receita não irá funcionar.

No recipiente do mixer (varinha mágica), adicione o azeite e o mínimo de leite, geralmente na proporção de 4 partes de azeite pra 1 de leite. Bata até ficar com uma consistência de maionese. Se estiver muito grosso, adicione mais umas gotinhas de leite. Caso fique com consistência de creme, é só deixar uns 20 minutinhos na geladeira que irá engrossar.

Importante: o leite deve estar gelado.

Agora que nosso molho base está pronto, vamos dar sabor aos molhos:

Molho Rose:

  • 7 colheres chá de molho base (descrito acima);
  • 4 colheres chá de molho ketchup;
  • sal a gosto.

Apenas misture os ingredientes e estará pronto para servir. Use ketchup de qualidade.

Molho de Mostarda e Mel:

  • 7 colheres chá de molho base (descrito acima);
  • 1 colher chá de mel;
  • 1 colher chá de mostarda em pó;
  • sal a gosto.

Apenas misture os ingredientes e estará pronto para servir. A proporção entre mel e mostarda, pode variar de acordo com o seu paladar. Se quiser que o mel tenha maior presença, ponha mais mel, ou do contrário, mais mostarda.

Eu particularmente não gostei muito do resultado da mostarda em pó nessa receita. Da próxima vez eu tentaria usar molho de mostarda, aqueles em bisnaga mesmo.

Molho de Alho e Parmesão:

  • 4 colheres chá de molho base (descrito acima);
  • 1 colher chá de pasta de alho;
  • 2 colher chá de queijo parmesão ralado;
  • 1 colher chá de maionese;
  • sal a gosto.

Apenas misture os ingredientes e estará pronto para servir. Ao invés da maionese, pode substituir por 4 gotinhas de suco de limão.

Molho Picante:

  • 7 colheres chá de molho base (descrito acima);
  • 1 pitada de pimenta chilli em pó;
  • 4 gotas de pimenta habanero;
  • 1/2 pimenta dedo de moça picada sem semente;
  • 1 pitada de pimenta do reino em pó;
  • 1 pitada de páprica picante;
  • sal a gosto.

Apenas misture os ingredientes e estará pronto para servir.

Geleia de Pimenta com Morango:

Utilizei a geleia de pimenta com morango da Casa Madeira, que é ótima com carnes.

Apenas adicionei um pouco de água quente para amolecer um pouco e facilitar o uso.

Molho Barbecue:

Utilizei molho barbecue pronto. Futuramente irei fazer um post de como prepará-lo em casa.

Adicionei um pouquinho de água para afinar o molho, mas isso vai muito da marca que você usar. Aqueça no micro-ondas por 40 segundos em potência alta e estará pronto.

Com todos os molhos prontos, pré-aqueça o azeite do fondue no fogão antes de servir no fogareiro. Utilizei azeite de girassol, aproximadamente meia panela. Você pode aromatizar o azeite com alho e ervas finas. Eu não fiz.

O ponto da carne será que acordo com o paladar de cada convidado.

Para acompanhar, um bom vinho tinto Merlot e muita conversa.

Bom apetite!

Veja também:
Acompanhamentos para Fondue de Queijo
Strogonoff de Carne

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Julho 21, 2013 em Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

T-Bone no Forno

Quem assistia pica-pau na infância sabe que mesa farta e comer bem é sinônimo de ter um grande e suculento T-Bone na mesa.

Pra mim essa é a melhor carne que existe e sempre está presente nas ocasiões mais importantes. Não é difícil de fazer, mas exige muita atenção, pois se errar o ponto, não fica boa.

Segue ingredientes:

  • 1 fatia generosa de T-Bone (850 gramas ou mais);
  • sal grosso moído;
  • pimenta moída;
  • pimenta da jamaica moída;
  • azeite.

O T-Bone você não encontrará dando sopa na prateleira do supermercado. Você deve pedir ao açougueiro de sua confiança preparar as fatias.

Vamos lá, polvilhe o sal e as pimentas de um lado da carne espalhando bem. Por ser grossa, pode exagerar um pouco. Vire e faça o mesmo do outro lado.

Em uma frigideira ou panela que possa ser levada ao forno, adicione um fio de azeite, aqueça em fogo médio e coloque a carne. Deixe fritando por 5 minutos ainda em fogo médio.

Vire com cuidado e frite por mais 5 minutos do outro lado. Com o forno já pré-aquecido a temperatura média, leve a frigideira diretamente ao forno.

Após aproximadamente 12 minutos estará pronta. Retire com cuidado e sirva.

Atenção, se deixar mais tempo, a carne ficará dura e perderá o sabor.

Como esse prato é pra os amantes de carne, o correto é servir em porções individuais, principalmente porque cada garfada terá um sabor e textura particular.

Para acompanhar, mini batatinhas na manteiga ou grelhadas, arroz branco e um vinho Merlot cai bem.

Bom apetite!

Veja também:
Picanha Grelhada
Espetinho à Uruguaya
Costela Assada

 
1 Comentário

Publicado por em Maio 12, 2013 em Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

Picanha Grelhada

Moro em apartamento e sempre que tinha vontade de comer picanha, procurava algum restaurante. Sempre acreditei na crença que era necessário ter “estrutura” para fazer picanha.

Pois bem, arrisquei fazer e o resultado foi ótimo. Nunca comi em restaurante uma picanha tão gostosa quanto essa. Acho que em lugar nenhum! (risos)

Vamos aos ingredientes:

  • 1 peça de picanha;
  • sal grosso moído;
  • pimenta-da-jamaica ou outra suave de aroma forte.

Para escolher a picanha, considere principalmente o peso. Uma picanha deve ter o peso máximo por volta de 1 Kg. Peças mais pesadas vem com carne de segunda junto, e claro, você estará pagando preço de picanha por ela.

Eu escolhi uma peça de aproximadamente 650gr com pouca gordura. Se preferir, peça para o açougueiro limpar e fatiar com 1 dedo de espessura.

Caso você limpe em casa, com uma faca bem afiada, muito afiada, retire toda a gordura extra. Deixe somente a capa de gordura que dará o sabor e umidade na carne.

Irei assar a picanha em uma churrasqueira elétrica. Se você fizer na brasa, os princípios serão os mesmos, porém prefira fatias mais grossas.

Vamos preparar a churrasqueira elétrica. Coloque água apenas o suficiente para cobrir o fundo da bandeja, e deixe esquentar bem. Uns 10 minutos pelo menos.

Coloque as fatias de picanha na parte central da churrasqueira apenas, que é a área mais quente. Imediatamente passe o sal grosso moído e a pimenta moída. Conte até 5 e vire, passe sal e pimenta novamente, conte até 5 e vire.

Isso irá selar a carne e evitar que o suco da carne saia deixando a carne saborosa e macia.

Não fique virando a carne, deixe ela lá assando até que forme por cima uma leve camada de sangue. Aí vire.

O ponto irá variar do seu gosto e de seus convidados. Eu retiro quando a carne não está mais soltando sangue, mas ainda fica umedecida por cima. Dessa forma, no meio ainda estará levemente vermelha indicando o ponto, porém sem sangue, como preferimos.

Você pode servir com arroz branco e farofa. Sugiro caipirinha de acompanhamento.

Se a pessoa não ver que foi feito em uma churrasqueira elétrica, nem irá desconfiar. Garanto!

Bom apetite!

Veja também:

Costela Assada
Farofa de Ovo
T-Bone no Forno

 
1 Comentário

Publicado por em Abril 20, 2013 em Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

Costela Assada

Essa semana vamos fazer uma tradicional e simples costela assada.

Uma ótima opção pra um almoço de família e pra quem gosta de acordar cedo, muito cedo. [risos]

Segue ingredientes:

  • 1 peça de aproximadamente 2 kg de costela bovina;
  • sal grosso.

Eu prefiro costela sem “muita” gordura. Dou preferência pelos pedaços que possuem mais carne e menos gordura.

Coloque a costela inteira em um espeto duplo. Abra em uma mesa o filme poliéster para churrasco, o suficiente para dar uma volta na peça de costela. Despeje sal grosso sobre o filme, coloque a peça de costela com as pontas do espeto virado para as bordas do filme e cubra com uma camada generosa de sal grosso. Não se preocupe com a quantidade de sal, pois a carne absorverá apenas a quantidade necessária.

Feito isso enrole o filme poliéster umas 4 ou 5 voltas ao redor da costela. Corte o filme. Para fechar, deixe uns 4 dedos de filme e corte novamente fazendo um tira, deixe mais 4 dedos e corte novamente. Use essas 2 tiras para fechar as pontas do espeto. Deve ficar bem fechado para que o vapor não saia.

Pronto, a costela está pronta para ir ao fogo. Como você está usando filme poliéster, não pode encostar chamas ou calor muito elevado para não derreter.

O que eu faço é de um lado da churrasqueira pôr fogo no carvão/madeira e quando vira brasa, movo para o outro lado da churrasqueira onde está a costela. Dessa forma não terá perigo de queimar o filme poliéster, e quando abrir a costela, irá dar um defumada na carne.

Leve a costela à brasa, em uma altura que permaneça uma temperatura média. Cada 1 hora ou 1 hora e meia vire a costela e mantenha sempre a brasa. Logo você irá notar que a costela irá começar a cozinhar.

Lembre-se que quanto mais tempo cozinhar, mais macia irá ficar a carne. Eu costumo deixar por volta de 4 horas, virando a cada 1 hora.

Após esse período, tire o filme de poliéster, com cuidado porque a peça de costela pode desmanchar. Deixe o resto do caldo escorrer na brasa, o que dará um gostinho defumado na carne. Deixe por mais uns 40 minutos, virando na metade do tempo para pegar uma cor.

Está pronto, pode servir com arroz, salada de tomate e claro, aquele molhinho barbecue.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Novembro 21, 2012 em Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , ,

 
Daniel Dalonso | Fotografia

Paixão pela arte de fotografar!