RSS

Arquivo de etiquetas: salsinha

Spaghetti ao Molho de Tomate Seco

Durante a nossa estadia na serra gaúcha fomos massacrados por incontáveis rodízios de massas. Apesar de já estarmos acostumados com esses rodízios, um tipo de molho que ainda não conhecíamos nos chamou muito a atenção, Molho de Tomate Seco. Pelo o que li, é uma tradição da região.

Retornamos para casa obstinados a reproduzir o tal molho. É fácil, rápido, barato, delicioso, e muito calórico. [risos]

Segue ingredientes:

  • 300 gramas de macarrão tipo espaguete;
  • 300 gramas de creme de leite fresco (nata);
  • 50 gramas de tomate seco em conserva;
  • 1 colher de chá de salsinha fresca;
  • 1 colher de sopa de manteiga;
  • queijo parmesão ralado a gosto;
  • 1 cebola média;
  • 1 dente de alho;
  • pimenta do reino;
  • sal a gosto.

Em uma panela grande, de preferencia uma espagueteira, coloque água na proporção de 1 litro de água para casa 100 gramas de massa. Tampe e leve ao fogo alto.

Enquanto a água esquenta, vamos preparando o molho. Coloque a manteiga em uma panela e leve ao fogo médio. Adicione a cebola picada e mexa até dourar.

Adicione o alho picado e logo em seguida o tomate seco. Pode ser inteiro mesmo, inclusive com parte do óleo da conserva. Deixe fritar de 1 a 2 minutos e então adicione a nata, a salsinha fresca picada, o sal a gosto e a pimenta do reino. Costumo fazer o molho um pouco mais salgado e não por muito sal depois no macarrão.

Abaixe o fogo, tampe e deixe o molho esquentar lentamente.

Enquanto isso, verifique a panela de água, se já estiver começando a fazer bolhas, faça um maço com o espaguete, coloque no meio da panela e solte. Irá ficar circular nas bordas da panela. Conforme o macarrão que estiver mergulhado for amolecendo, o demais irá descendo. Eu costumo ajudar com o garfo para que não fique muito tempo fora d’agua, cozinhando de forma uniforme. Jamais quebre o espaguete, por favor. [risos]

Assim que todo o espaguete estiver mergulhado, com o garfo de uma mexida na base do espaguete que ficou primeiro mergulhado na água para soltar bem. Apesar de uma dica simples, isso irá evitar que fique aquele macarrão unidos venceremos que é horrível. Isso também serve para qualquer tipo de massa cozida. Também não fique mexendo demais, só o necessário.

Adicione o sal a gosto. Você deve lembrar que você está salgando não só o macarrão, mas também a água que será jogada fora depois. Então deve caprichar no sal. Recomendo com uma colher provar um pouquinho da água para saber se está no ponto certo. Tampe novamente e deixe ferver.

Voltando ao molho, assim que ferver, deixe ainda em fogo baixo por mais 2 ou 3 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar até o macarrão estiver pronto.

Para saber o ponto do macarrão, pegue alguns com o garfo e retire da panela. Deve estar com aparência uniforme, que você consiga enrolar no garfo, mas não pode sujar. Se quiser pode provar para sentir como está a textura. Eu recomendo desligar o fogo antes que estiver no ponto ideal e terminar o cozimento na água quente apenas. É mais fácil para evitar que passe do ponto.

Assim que o espaguete estiver pronto, escorra e reserve por alguns instantes.

Com o molho já amornado, passe o mixer (varinha mágica) no molho para desmanchar o tomate seco. Se ficar alguns pedacinhos pequenos não tem problema. Despeje o molho na panela do espaguete, misture bem e leve ao fogo baixo sempre mexendo. Assim que começar a borbulhar está pronto para servir com um queijinho parmesão ralado por cima.

Para acompanhar, um vinho tinto Cabernet Sauvignon, de preferencia produzido serra gaúcha pra complementar o tema.

Bom apetite!

Veja também:
Strogonoff de Carne
Strogonoff de Camarão
Carne de Panela à Mexicana

 
1 Comentário

Publicado por em Setembro 15, 2013 em Massas, Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Hackepeter

Quando pensamos em comida típica alemã, provavelmente esse é um dos primeiros pratos que vem a cabeça. Apesar de eu não ser fã de comida alemã e você não verá muitas receitas dessa culinária por aqui, esse prato pra mim tem um toque especial, pois quando conheci a dona Maria, saíamos para um barzinho que servia esse aperitivo. Isso me trás boas recordações.

Muita gente confunde o hachepeter com beef tartar ou com carne de onça. Apesar de serem parecidos, não é a mesma coisa. O Beef Tartar é francês e não usa carne moída como no hackepeter, e sim a carne picada na ponta da faca. Mas é bem parecido.

Já a carne de onça o que muda é a forma de servir, ao invés de preparar na mesa em frente aos convidados, é servido no pão preto e com salsinha por cima, como se fosse uma brusqueta.

Vamos ao que interessa, nosso Hackepeter, veja os ingredientes:

  • 500 gramas de coxão mole limpo moído;
  • 1 gema;
  • 1 colher de sopa de salsinha picada;
  • 1 colher de sopa de cebolinha verde picada;
  • 1 colher de sopa de alcaparras picadas;
  • 2 colheres de sopa de cebola picada;
  • 2 colheres de chá de molho inglês;
  • 3 colheres de chá de mostarda;
  • 1/2 xícara de azeite de oliva;
  • páprica picante a gosto;
  • sal grosso moído a gosto;
  • pimenta do reino moída;
  • 50 ml de conhaque.

A parte mais difícil é conseguir achar um açougue e um açougueiro de bom humor para limpar a carne e moer ela pra você. Não pode ter nada de gordura ou nervos e o ideal é passar apenas 2 vezes no moedor. A carne ideal é o coxão mole, mas pode usar alcatra ou mignon se preferir.

Em um prato grande ou uma travessa, coloque a carne limpa moída e molde em um formato circular, deixando o topo levemente afundado para que a gema não caia quando for colocada. Espalhe a páprica picante por cima e nas laterais. Isso irá dar uma cor avermelhada bonita ao prato.

Coloque a gema no topo da carne, e no prato ao redor, coloque a salsinha picada, a cebolinha verde picada, as alcaparras escorridas e picadas e a cebola picada o mais fino que você conseguir. A cebola acho melhor não ralar porque irá soltar muita água. A alcaparras compro em conserva.

Feito isso, pode levar à mesa. O charme do prato é terminar de preparar na mesa, em frente aos convidados. Com o auxílio de 2 garfos, misture brevemente todos os ingredientes que estiverem no prato e deixe a carne bem espalhada, então despeje o conhaque e misture bem. O conhaque irá esterilizar a carne e o ovo.

Adicione o sal grosso moído. Pode caprichar no sal. Adicione também a mostrada, o molho inglês, a pimenta do reino moída e o azeite de oliva de qualidade. Misture novamente.

O hackepeter tem que ficar com a aparência de um patê. Para que isso ocorra, o segredo é a forma com que você mistura os ingredientes. A forma correta é passar o garfo por baixo e virar pro meio e em seguida apertar com o garfo. Semelhante como fazer um purê de batata.

Recomendo você provar um pouquinho e caso ache necessário, faça a correção no sal, mostarda ou molho inglês até ficar do seu agrado.

Quando estiver pronto, molde novamente formando um circulo e estará pronto. Sirva com uma cesta de pães variados. Os pães mais moles são mais recomendados.

Agora é só praticar servir com 2 garfos usando uma mão só. Quem está acostumado com sushi não terá dificuldades. [risos]

Para acompanhar, recomendo uma cerveja Weizen, combina perfeitamente.

É importante lembrar que esse prato, por levar ovo e ser servido cru, deve ser preparado e consumido imediatamente. Se sobrar, descarte.

Bom apetite!

Veja também:
Costelinha com Geleia de Morango com Pimenta
Hamburger Caseiro
Carne de Panela à Mexicana

 
1 Comentário

Publicado por em Agosto 4, 2013 em Aperitivos, Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

 
Daniel Dalonso | Fotografia

Paixão pela arte de fotografar!