RSS

Arquivo de etiquetas: vinho tinto

Mignon ao Creme de Whisky

Essa receita foi indicação do meu amigo Juliano. No começo gostei da ideia mas me parecia que iria ser apenas mais um tradicional steak. Pra minha surpresa ficou divinamente bom. Entrou para o hall das minhas receitas favoritas.

Vamos aos ingredientes:

  • 400 gramas de filé mignon;
  • 1/2 cebola pequena;
  • 2 doses de whisky;
  • 1/2 xícara de chá de creme de leite fresco;
  • 1 xícara de champignon;
  • azeite;
  • sal grosso moído;
  • pimenta 5 bayas;
  • Tempero Fumace (ou mix de ervas de sua preferencia). Este eu achei no mercadão de São Paulo.

Primeiro vamos preparar a carne. Com umas 10 horas de antecedência, corte o mignon da forma que você preferir, fazendo 2 bifes de 200 gramas cada.

Espalhe bem o sal grosso moído de um lado dos bifes, a pimenta 5 bayas e o tempero fumace, caprichando bem. Vire os bifes e tempere do outro lado igualmente.

Coloque os bifes dentro de um saco plástico pra freezer, despeje uma dose de whisky e feche bem o saco. De uma boa mexida para espalhar bem o whisky, porém com cuidado para não rasgar o saco.

Leve para a geladeira e deixe lá. De vez em quando vire o saco para espalhar o tempero.

Depois de passado as 10 horas, aqueça uma frigideira em fogo alto, coloque um fio de azeite e assim que estiver bem quente, coloque os bifes. Não mexa até que a parte de cima dos bifes esteja bem umedecida, vire e deixe o mesmo tempo que do outro lado. Cuide para não ressecar demais a carne, senão irá perder o sabor.

Retire a carne e reserve. Vamos fazer o molho. Abaixe o fogo, e na mesma frigideira para aproveitar aquele suco que escorreu, despeje uma dose de whisky e na sequencia coloque a cebola. Mexa bem até a cebola murchar.

Adicione o champignon cortado em fatias e o creme de leite. Misture bem até ficar um molho uniforme. Tempere com sal, pimenta 5 bayas e tempero fumace a gosto.

Assim que o molho ferver, desligue imediatamente e estará pronto para servir. Sirva cada bife individualmente com uma generosa porção de molho por cima.

Para acompanhar, um vinho tinto Merlot ou um Malbec jovem caem muito bem.

Bom apetite!

Veja também:
Carré de Cordeiro
Picanha Grelhada
T-Bone no Forno
Costela Assada

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Dezembro 1, 2013 em Carnes, Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

Spaghetti ao Molho de Tomate Seco

Durante a nossa estadia na serra gaúcha fomos massacrados por incontáveis rodízios de massas. Apesar de já estarmos acostumados com esses rodízios, um tipo de molho que ainda não conhecíamos nos chamou muito a atenção, Molho de Tomate Seco. Pelo o que li, é uma tradição da região.

Retornamos para casa obstinados a reproduzir o tal molho. É fácil, rápido, barato, delicioso, e muito calórico. [risos]

Segue ingredientes:

  • 300 gramas de macarrão tipo espaguete;
  • 300 gramas de creme de leite fresco (nata);
  • 50 gramas de tomate seco em conserva;
  • 1 colher de chá de salsinha fresca;
  • 1 colher de sopa de manteiga;
  • queijo parmesão ralado a gosto;
  • 1 cebola média;
  • 1 dente de alho;
  • pimenta do reino;
  • sal a gosto.

Em uma panela grande, de preferencia uma espagueteira, coloque água na proporção de 1 litro de água para casa 100 gramas de massa. Tampe e leve ao fogo alto.

Enquanto a água esquenta, vamos preparando o molho. Coloque a manteiga em uma panela e leve ao fogo médio. Adicione a cebola picada e mexa até dourar.

Adicione o alho picado e logo em seguida o tomate seco. Pode ser inteiro mesmo, inclusive com parte do óleo da conserva. Deixe fritar de 1 a 2 minutos e então adicione a nata, a salsinha fresca picada, o sal a gosto e a pimenta do reino. Costumo fazer o molho um pouco mais salgado e não por muito sal depois no macarrão.

Abaixe o fogo, tampe e deixe o molho esquentar lentamente.

Enquanto isso, verifique a panela de água, se já estiver começando a fazer bolhas, faça um maço com o espaguete, coloque no meio da panela e solte. Irá ficar circular nas bordas da panela. Conforme o macarrão que estiver mergulhado for amolecendo, o demais irá descendo. Eu costumo ajudar com o garfo para que não fique muito tempo fora d’agua, cozinhando de forma uniforme. Jamais quebre o espaguete, por favor. [risos]

Assim que todo o espaguete estiver mergulhado, com o garfo de uma mexida na base do espaguete que ficou primeiro mergulhado na água para soltar bem. Apesar de uma dica simples, isso irá evitar que fique aquele macarrão unidos venceremos que é horrível. Isso também serve para qualquer tipo de massa cozida. Também não fique mexendo demais, só o necessário.

Adicione o sal a gosto. Você deve lembrar que você está salgando não só o macarrão, mas também a água que será jogada fora depois. Então deve caprichar no sal. Recomendo com uma colher provar um pouquinho da água para saber se está no ponto certo. Tampe novamente e deixe ferver.

Voltando ao molho, assim que ferver, deixe ainda em fogo baixo por mais 2 ou 3 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar até o macarrão estiver pronto.

Para saber o ponto do macarrão, pegue alguns com o garfo e retire da panela. Deve estar com aparência uniforme, que você consiga enrolar no garfo, mas não pode sujar. Se quiser pode provar para sentir como está a textura. Eu recomendo desligar o fogo antes que estiver no ponto ideal e terminar o cozimento na água quente apenas. É mais fácil para evitar que passe do ponto.

Assim que o espaguete estiver pronto, escorra e reserve por alguns instantes.

Com o molho já amornado, passe o mixer (varinha mágica) no molho para desmanchar o tomate seco. Se ficar alguns pedacinhos pequenos não tem problema. Despeje o molho na panela do espaguete, misture bem e leve ao fogo baixo sempre mexendo. Assim que começar a borbulhar está pronto para servir com um queijinho parmesão ralado por cima.

Para acompanhar, um vinho tinto Cabernet Sauvignon, de preferencia produzido serra gaúcha pra complementar o tema.

Bom apetite!

Veja também:
Strogonoff de Carne
Strogonoff de Camarão
Carne de Panela à Mexicana

 
1 Comentário

Publicado por em Setembro 15, 2013 em Massas, Molhos

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Carré de Cordeiro

Muitas vezes quando estou com vontade cozinhar mas estou sem grandes ideias, vou ao supermercado e me deixo levar pelas promoções. Comumente me surpreendo com os pratos que essa prática me proporciona.

Eis que a promoção da vez era a famosa carne da alta culinária internacional, o Carré de Cordeiro. Uma carne de sabor peculiar e de fácil preparo.

Veja os ingredientes:

  • 1 peça de carré de cordeiro;
  • sal grosso moído;
  • pimentas moídas.

Para preparar esse prato, optei pela simplicidade. Deixe a peça de carré de cordeiro inteira e passe o sal grosso moído por toda ela. Não precisa economizar no sal por ser uma peça grande.

Faça o mesmo com as pimentas. Eu usei um mix de pimentas, que tem pimenta do reino preta, pimenta do reino branca, pimenta rosa, pimenta calabresa e pimenta da Jamaica.

Leve à grelha bem aquecida. Deixe alguns minutos de cada lado até que fique com aparência de bem assada. Não se preocupe com a carne ficar dura ou seca, pois o carré de cordeiro de um lado é osso e do outro é uma generosa capa de gordura.

Quando estiver assada, retire da churrasqueira e com uma faca “potente”, separe cada ossinho em um bife individual como na foto de capa. Eu usei um cutelo ao invés de uma faca. Se você achar o ponto de junção do osso, será bem tranquilo de separar.

Está pronto para servir, combina muito bem com um purê de batata. Se preferir, um fio de azeite de oliva por cima da uma graça ao prato.

Para acompanhar, um bom vinho tinto Malbec combina muito bem.

Bom apetite!

Veja também:
Picanha Grelhada
T-Bone no Forno
Costela Assada
Espetinho à Uruguaya

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Setembro 1, 2013 em Carnes

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

 
Daniel Dalonso | Fotografia

Paixão pela arte de fotografar!